PT estuda pedir impeachment de governador do ES

A liderança do Partido dos Trabalhadores do Espírito Santo decide amanhã se vai pedir o impeachment do governador do Estado, José Ignacio Ferreira (PSDB). O pedido do PT é baseado no fato de que vários integrantes do governo de Ferreira, incluindo mulher, cunhado e chefe de gabinete, serem alvo de investigação na CPI da Propina por corrupção e tráfico de influência.O PT já planeja pedir o impeachment do governador há algumas semanas, mas estava esperando a conclusão de uma análise jurídica feita por seus advogados e o fim da fase de depoimentos na CPI, previstos para acabar hoje à noite. "Não há dúvidas de que eticamente Ferreira não tem mais como governar, mas vamos decidir até amanhã se encaminharemos o pedido para o Judiciário ou para a Assembléia", afirmou Iriny Lopes, presidente do PT estadual.A investigação na Assembléia Legislativa começou em abril, quando o prefeito de Cachoeiro do Itapemirim, Teodorico Ferraço (PTB), apresentou um dossiê de oito CDs com gravações feitas pelo lobista Nilton Antônio Monteiro, que revelariam um esquema de cobrança de "ágios" de até 30% para transferência de créditos do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) a empresas privadas. "Nilton revelou o esquema porque ele criou o esquema e acabou não pago", conta o prefeito Ferraço. Essas propinas somadas chegaram, apenas em alguns dos casos investigados, a R$ 800 mil, segundo o relator da CPI, o deputado Sérgio Borges (PMDB). As denúncias cresceram e, hoje, além das propinas, a comissão investiga ainda uma denúncia sobre um empréstimo irregular que o governo teria feito no Banespes, o banco estadual, para pagar compromissos de campanha (que também é apurada pelo Banco Central) e o mau uso de dinheiro público na construção da Fábrica de Sopas, um projeto da Secretaria da Ação Social, que era liderada pela primeira-dama, Maria Helena Ruy Ferreira, até ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.