PT endurece o discurso na disputa em Belo Horizonte

A perspectiva de que a eleição para a prefeitura de Belo Horizonte termine em primeiro turno devido à polarização entre os candidatos Patrus Ananias (PT) e o prefeito Marcio Lacerda (PSB) e a distância que os separa nas pesquisas eleitorais levou a campanha petista a engrossar o discurso na propaganda eleitoral gratuita. A um mês do pleito, o material de divulgação da candidatura do ex-ministro, produzido pelo marqueteiro João Santana, passou a atacar a administração para tentar "desconstruir" a imagem do prefeito.

MARCELO PORTELA, Agência Estado

05 de setembro de 2012 | 18h46

Os programas e inserções petistas iniciaram apresentando o candidato e suas propostas, com participação constante do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. E Patrus chegou a subir nas pesquisas após o início dos programas, mas Lacerda mantém entre 16 e 20 pontos percentuais à frente nos levantamentos. Agora, Lula ainda aparece nos programas, mas criticando o prefeito durante comício em Belo Horizonte na sexta-feira (31), tom que passou a marcar todos os programas e inserções petistas, principalmente com críticas nas áreas de Saúde e Educação.

Para o Patrus, porém, não há "nenhuma mudança" na linha dos programas e ocorreu apenas a "evolução natural" da propaganda eleitoral planejada pela equipe de João Santana. "A agência merece toda nossa confiança. Está fazendo um trabalho rigorosamente sintonizado conosco. Inclusive fica sob responsabilidade da agência, em sintonia com a agenda da presidente da República, a escolha do melhor momento para a gravação", afirmou o petista, referindo-se à possibilidade de a presidente Dilma Rousseff gravar declaração para os programas. A agência de João Santana também foi responsável pela campanha da petista à Presidência em 2010, assim como a de Lula anteriormente.

Lacerda optou por não revidar pessoalmente e os programas do prefeito mantém a linha de mostrar obras e realizações da gestão socialista. Mas a campanha escalou escudeiros para rebater o petista e contra-atacar. Como fez nesta quarta um grupo de parlamentares de partidos que apoiam Lacerda, que lançaram manifesto para "rebater inverdades que estão sendo divulgadas" pela campanha adversária. "Belo Horizonte assiste, perplexa, ao uso recorrente da mentira por parte da campanha de Patrus Ananias", diz o texto, que lista e ataca uma série de propostas do petista. Ao todo, 13 parlamentares de nove legendas assinaram o documento.

Debate

A polêmica entre os candidatos se estendeu para o vice de Lacerda, deputado estadual Délio Malheiros (PV), em debate no tradicional colégio Santo Antônio, promovido pelo grêmio estudantil, na manhã de quarta. Malheiros, que tentou representar o prefeito, divulgou nota dizendo que foi "censurado" por Patrus, apesar de ter sido aceito pelos demais candidatos. O coordenador do debate, Victor Polignano Godoy, no entanto, contestou a informação.

Segundo o estudante, até o dia anterior a campanha de Lacerda não havia confirmado presença e os tempos de respostas foram calculados sem levar em conta sua participação. De acordo com Godoy, Malheiros pode se apresentar no microfone, mas optou por atacar Patrus dizendo que o petista havia vetado sua presença e o próprio Victor teve que pegar o microfone para desmentir o parlamentar. "Não dava para mudar tudo em cima da hora", justificou.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012Belo Horizonte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.