PT e PSDB não precisam ser sempre inimigos, diz Aécio

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), afirmou hoje que PT e PSDB não precisam ser inimigos declarados "toda a vida". Ao deixar o Ministério da Fazenda, onde se encontrou com o ministro Guido Mantega, Aécio afirmou que uma eventual união entre os dois partidos nas próximas eleições municipais em Minas Gerais talvez seja o surgimento da primeira sinalização na direção da aliança. O governador mineiro disse que os dois partidos já têm "identidade em tantas questões, em especial na área econômica". "Quem sabe podemos estar juntos na construção de um grande projeto futuro. Em Minas Gerais, estamos conversando. Em Belo Horizonte estamos conversando", disse. Para o governador, a sua aproximação com o prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), "não deveria assustar", e sim "alegrar". Para ele, esta aproximação faz parte de um processo de transição. "O Brasil precisa viver uma fase mais madura. Nós precisamos buscar alianças onde existe identidade. Acho que esse possível entendimento, algo em curso ainda na terceira capital do País, onde eventualmente o PSDB e o PT poderão estar juntos em torno de um projeto para as cidades, pode ser uma sinalização", afirmou.Segundo ele, a aliança pode oxigenar a vida política do País e ser seguida em outros Estados. "Eu não acho que eu tenha que indefinidamente estar no campo oposto. Há figuras do PT com as quais eu tenho identidade." Questionado se teria interesse em apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas próximas eleições presidenciais, Aécio Neves respondeu: "Eu não ousaria isto. Eu sou candidato a fazer um grande segundo governo em Minas Gerais".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.