PT e PSDB discutem a CPI da Nossa Caixa na Assembléia

O PT e o PSDB na Assembléia Legislativa de São Paulo continuam se digladiando em torno da instalação da CPI da Nossa Caixa. Nesta terça-feira, o líder da bancada petista, deputado Simão Pedro, disse que a legenda irá exigir do presidente da Casa, o tucano Vaz de Lima, o cumprimento da decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, que recomenda a instalação da CPI.Já o líder do governo José Serra na Assembléia, deputado Barros Munhoz (PSDB), disse que é preciso conhecer o teor da decisão do TJ-SP (acórdão) para ver qual medida a bancada tucana irá tomar. Segundo ele, o PSDB não pode ser acusado de ser contra a instalação de CPIs. Apesar disso, ele destacou que as comissões no Brasil viraram palco de exibição. "Qual foi o resultado de tanta CPI que aconteceu no ano passado, a não ser a paralisação do País?", questionou, afirmando que na sua opinião a CPI do Apagão Aéreo também é incoerente.Antes de dizer que classifica a CPI sobre o caos aéreo no País de incoerente, Munhoz disse que o embate em torno da instalação ou não de CPIs está provocando a desmoralização da classe política. "Quem condena a CPI lá (em Brasília) defende aqui (na Assembléia), e quem defende aqui, condena lá. Mas eu não sou contraditório, não podemos mostrar a política do jogo de faz de conta", disse.Na avaliação do líder do PSDB na Assembléia, deputado Mauro Bragatto, não é necessária a instalação da CPI da Nossa Caixa na Casa porque o assunto já foi amplamente investigado. Ele citou que alguns dirigentes da Nossa Caixa, que tiveram seus nomes envolvidos nas denúncias, já foram à Assembléia para dar suas explicações.A bancada do PT na Assembléia reconhece que terá dificuldades para colher o mínimo de assinaturas necessárias a uma eventual investigação do governo tucano. Pelas contas dos petistas, no momento eles podem ter a adesão de 25 parlamentares, quando o necessário para se abrir uma CPI é de 32. Por isso, o PT vai insistir para que a recomendação do Tribunal de Justiça de São Paulo seja cumprida.CPI do MetrôA exemplo do que fizeram os deputados federais de oposição ao governo Lula, os parlamentares que fazem oposição ao governo Serra, sobretudo os do PT, irão colher, a partir da semana que vem, assinaturas para o pedido de instalação de uma CPI do Metrô. Segundo o líder petista na Assembléia, as assinaturas serão colhidas prioritariamente nas estações do Metrô. Para reforçar o pedido de abertura da CPI do Apagão, em Brasília, parlamentares federais colheram assinaturas da população nos aeroportos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.