PT e PMDB adiam convenções partidárias em Minas

Os diretórios mineiros do PT e do PMDB decidiram adiar para o dia 30 as convenções estaduais dos partidos e programaram para o mesmo dia um ato conjunto na Assembleia Legislativa, com a presença da presidenciável Dilma Rousseff (PT). A ideia é dar uma demonstração de unidade da aliança para a disputa pelo governo de Minas Gerais. Na ocasião, será oficialmente apresentada a chapa majoritária, tendo o senador Hélio Costa (PMDB) como candidato a governador, o ex-ministro Patrus Ananias (PT) como vice e o ex-prefeito Fernando Pimentel como candidato ao Senado.

EDUARDO KATTAH, Agência Estado

23 de junho de 2010 | 18h25

O PC do B deverá ficar com a outra vaga na disputa por uma cadeira de senador.

Embora ainda não tenha confirmado oficialmente, Patrus já deixou claro que aceita compor como vice de Costa. O ex-ministro do Desenvolvimento Social vinculou sua decisão a uma aliança programática com os peemedebistas e se convenceu de que o PT estará unido na disputa estadual. Patrus também está convencido de que haverá uma integração entre a campanha em Minas e a candidatura de Dilma.

As convenções do PT e do PMDB estavam marcadas para o fim de semana, quando o ex-ministro não estaria em Belo Horizonte. Durante encontro entre os coordenadores de campanha, na noite de ontem, petistas e peemedebistas decidiram realizar as convenções na data limite para a oficialização das candidaturas. Ao final das convenções, o ato irá marcar o início da campanha em Minas.

Já o PSDB-MG e vários outros partidos realizam suas convenções no fim de semana. Os tucanos oficializam a chapa no domingo. O presidente da Assembleia Legislativa, Alberto Pinto Coelho (PP), é apontado como provável vice do governador Antonio Anastasia (PSDB).

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoconvençãoPTPMDBMG

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.