PT e PFL não concordam com indicação de presidente da CPI

Uma reação à indicação do presidente da CPI Mista para apurar a evasão de divisas por meio das contas CC-5, a CPI do Banestado, adiou o início dos trabalhos para a próxima quarta-feira. A Comissão foi instalada, mas o PT e o PFL não concordaram com a indicação do senador tucano Antero Paes de Barros (MT) para a presidência. A senadora Ideli Salvatti (PT-SC) protestou, argumentando que nenhum dos dois autores de requerimento de CPI do Senado deveriam ocupar cargos na CPI Mista. Ideli e Antero foram autores de requerimentos em favor da CPI. "Se eu não vou ocupar um dos cargos, o outro também não deveria", disse Ideli. Antero, que comandou a CPI do painel do Senado, enfrenta a resistência do PT e do PFL, que desejariam ver na presidência da Comissão um parlamentar com "postura mais serena" para a condução dos trabalhos. O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) reagiu à ameaça e garantiu que o PSDB não permitirá que Antero de Barros seja retirado da presidência da CPI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.