PT e o PSDB têm profunda identidade, diz Aécio

O líder do PSDB na Câmara, Aécio Neves, se reuniu hoje com a bancada do PT para falar sobre sua plataforma de campanha à presidência da Câmara e ressaltou as diferenças em relação ao seu adversário Inocêncio Oliveira, líder do PFL. Aécio destacou que existe uma profunda identidade entre o PT e o PSDB, partidos que, segundo ele, "sempre atuaram no campo democrático".Ele observou que ao se candidatar à presidência da Câmara enfrentou obstáculos em alguns setores do governo e que sua candidatura sempre mostrou, na prática, independência."É muito fácil falar de autonomia e independência sem praticar isso. Em nenhum instante dessa campanha precisarei fazer atos de pirotecnia política, ou de negação de minhas convicções", declarou Aécio Neves, numa referência à Inocêncio, que depois de seis anos de fidelidade ao governo declarou que será um opositor "três vezes mais forte contra esse governo opressor".Aécio Neves disse ainda que se for eleito, o seu partido, o PSDB, "diferentemente de exemplos de um passado recente", não precisará usar o Parlamento para pressionar ou "chantagear" para conseguir benefícios políticos. Disse ainda que a bancada do PSDB dará sustentação à proposta de emenda constitucional que restringe a edição de medidas provisórias.Aécio Neves garantiu que fará todos os esforços para impedir o avanço da privatização do setor elétrico. "No que depender de minha ação parlamentar serei um vigoroso opositor, seja da cisão de Furnas ou da venda de outras empresas do setor elétrico, como a Chesf e a Eletronorte", afirmou Aécio, responsabilizando a gestão do PFL, frente ao Ministério de Minas e Energia, pelos erros na privatização do setor elétrico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.