PT e CUT protocolam pedido de impeachment de Paulo Octávio

'Paulo Octávio não tem legitimidade nenhuma para comandar o governo', diz presidente da central

estadao.com.br,

12 de fevereiro de 2010 | 15h51

O Partido dos Trabalhadores (PT) e a Central Única dos Trabalhadores do Distrito Federal (CUT-DF) protocolaram na tarde desta sexta-feira, 12, pedidos "de afastamento e impugnação de mandato (impeachment)" contra o governador em exercício, Paulo Octávio. Os dois pedidos foram assinados pelos presidentes das organizações, Roberto Policarpo (PT) e Rejane Pitanga (CUT-DF).

 

Veja também:

linkReunião de Paulo Octávio com deputados distritais é cancelada

link OAB-DF vai pedir novo impeachment de Paulo Octavio

blog  Blog do Bosco: Arruda se licencia para evitar intervenção

especial Entenda a operação Caixa de Pandora

 

Para Policarpo, Paulo Octávio não tem legitimidade nenhuma para comandar o governo, uma vez que também está diretamente envolvido com os casos de corrupção. "Esperamos que a Câmara Legislativa assuma a sua responsabilidade e faça o papel que a sociedade espera, caso contrário, a Justiça mais uma vez terá que agir", afirmou.

 

O dirigente do PT do DF também assinalou que a sociedade civil deve pressionar a Câmara Legislativa. "Além de ficar indignada, a sociedade tem que ser mobilizar e pressionar a Câmara. A sociedade tem que exigir uma limpeza ética no DF. Não dá mais para Brasília continuar vivendo neste clima", destacou.

 

Para Rejane Pitanga, a responsabilidade de Paulo Octávio é a mesma do governador afastado José Roberto Arruda. Ela também informou que os trabalhadores estão mobilizados para cobrar apuração e punição rigorosa de todos os envolvidos com a corrupção.

 

Segundo Pitanga, haverá manifestações e mobilizações durante todo o período de carnaval. Também, segundo ela, está marcada uma manifestação em frente à Câmara Legislativa para a próxima quinta-feira, 18, às 14 horas.

 

Com informações da Câmara Legislativa do Distrito Federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.