PT diz que teto da campanha de Dilma é de R$ 157 mi

A assessoria de imprensa da candidata do PT à sucessão presidencial, Dilma Rousseff, informou nesta tarde que o gasto máximo total estipulado pelo PT para a campanha da presidenciável é de R$ 157 milhões, e não de R$ 187 milhões informados no início da tarde pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). De acordo com a assessoria, o aporte de R$ 30 milhões que partirá do PMDB já está incluído no montante total de R$ 157 milhões, e não seria somado a ele. "O fato de o PMDB instituir R$ 30 milhões não significa que esses serão acrescidos aos R$ 157 milhões", informou Sidney Neves, advogado do partido.

GUSTAVO URIBE, Agência Estado

05 Julho 2010 | 17h49

Informado pelo PT, o TSE incluiu a informação da assessoria em nota divulgada à imprensa. "A assessoria da candidata Dilma Rousseff informou ao TSE que o total de gastos com a campanha para a Presidência será de R$ 157 milhões, sendo que o PMDB participará com a quantia de R$ 30 milhões, já inserida no total." A assessoria da Justiça Eleitoral, contudo, reafirmou que o documento entregue ao TSE separa o valor do PT e do PMDB que, somados, totalizariam R$ 187 milhões. "De acordo com o documento, a chapa prevê gasto máximo de R$ 157 milhões pelo PT e de R$ 30 milhões pelo PMDB."

Em entrevista nesta manhã, em almoço-debate com empresário paulistas, Dilma confirmou que o teto de sua campanha será de R$ 157 milhões e avaliou a quantia como adequada para a sucessão presidencial. Os advogados do partido pretendem apresentar um novo documento ao TSE para esclarecer o equívoco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.