PT diz que Arruda pôs bomba no colo de ACM

O líder do PT na Câmara, o deputadofederal Walter Pinheiro (BA), disse há pouco que o depoimento do senador José Roberto Arruda (PSDB), quando este confessou queteve acesso à lista de votação secreta da cassação do ex-senador Luís Estevão, colocou o senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) numasituação "irreversível"."O Arruda botou uma bomba no colo de ACM, que vai levar os dois juntos", afirmou, referindo-se àpossibilidade de cassação dos dois senadores. Segundo o deputado, com o depoimento, Arruda tentou construir dois caminhos: "O do perdão ou o da renúncia"."Mas não hácomo o senador recuar da abertura do processo de cassação, pois ele cometeu dois crimes: o da violação do painel e o damentira, contradizendo o depoimento da semana passada". O líder do PT acusou o governo de estar bloqueando a instalação da CPI da Corrupção com promessas de verbas aosdeputados para que não assinem em favor da CPI. "O que temos hoje é um balcão de negócios".O deputado, no entanto,acredita que até quarta-feira sejam recolhidas as 171 assinaturas de deputados necessárias à instalação da CPI. "Hámuita sujeira, além da violação do painel, a ser investigada, e só uma CPI poderá fazer isso". Pinheiro participa nesta segunda-feira de uma reunião a portas fechadas, no Hotel Braston, em São Paulo, que já dura oito horas.Segundo ele, os dirigentes do partido discutem a situação do deputado estadual Carlos Santana (PT-RJ),acusado de receber R$ 50 mil da CBF uma semana após as eleições de 98.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.