Márcio Fernandes de Oliveira/Estadão
Márcio Fernandes de Oliveira/Estadão

PT divulga nota sobre condenação de Lula: sentença é 'medida equivocada, arbitrária e ilegal'

Partido critica falta de provas e chama Moro de 'juiz parcial'

Elisa Clavery, O Estado de S.Paulo

12 Julho 2017 | 17h02

A Direção Nacional do PT divulgou nota após a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira, 12, em sentença feita pelo juiz Sérgio Moro, dizendo que a decisão é um "ataque à democracia e à Constituição". Segundo a nota, a sentença, mesmo em primeira instância, é "medida equivocada, arbitrária e absolutamente ilegal". 

O partido critica a falta de provas e a sentença baseada em delações premiadas. Moro é chamado, na nota, de "juiz parcial, que presta contas aos meios de comunicação e a opinião pública que criou contra o ex-presidente". O ex-presidente foi condenado no caso do triplex do Guarujá pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

De acordo com o partido, a decisão é baseada em delações premiadas "negociadas ao longo de meses com criminosos confessos, e simplesmente validam as convicções contidas na acusação de procuradores do Ministério Público Federal, sem que houvesse a apresentação de provas".

A nota diz que "Lula não está acima da lei, tampouco abaixo dela", fala em recursos políticos indevidos e "perseguição que se constitui em uma aberração constitucional". 

"Busca-se imputar-lhe crimes com base em teorias respaldadas apenas pela palavra de condenados, incapazes de comprovar suas afirmações por meio de documentos ou de transferências bancárias". A sigla questiona, ainda, o fato de a condenação ter saído um dia depois da votação da reforma trabalhista. "Medidas que retiram direitos dos trabalhadores e agora serão esquecidas", diz. 

O partido afirma que vai manter sua defesa a Lula por acreditar "em sua absoluta inocência". 

"Hoje, mais do que nunca, nos solidarizamos com Lula, e com seus filhos e netos. Além disso, reforçamos nosso pesar pela morte de sua mulher Marisa Letícia Lula da Silva. Sabemos que haverá Justiça nas outras instâncias do julgamento e que toda a verdade virá à tona. A história será a principal testemunha de sua absolvição e de sua grandeza", finaliza.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.