PT distitui diretório em Paulínia e retira apoio ao próprio candidato

Em agosto deste ano, o partido recebeu imagens de um suposto caso de pedofilia que envolvia Carvalho - escolhido nas prévias

Ricardo Brandt, da Agência Estado,

29 de setembro de 2012 | 12h58

CAMPINAS - A executiva estadual do PT em São Paulo decidiu retirar o apoio ao próprio candidato a prefeito do partido em Paulínia, Dixon Carvalho, após ele ser acusado de pedofilia.

Em agosto deste ano, o diretório estadual do PT recebeu imagens de um suposto caso de pedofilia que envolvia Carvalho - escolhido nas prévias - e decidiu expulsá-lo do partido. O diretório municipal do PT decidiu, no entanto, manter Carvalho como candidato, contrariando decisão estadual. Nesta semana, o partido interveio em Paulínia, destituindo toda diretoria municipal e nomeando uma nova comissão provisória.

O novo presidente do diretório municipal, Renato Augusto da Silva, escolhido pelo PT de São Paulo, explicou que a legenda não reconhece Carvalho como candidato e ele vai para as urnas sem o apoio do PT.

Carvalho afirma que a gravação é uma montagem e que foi vítima de uma traição política.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.