PT dispara 2,5 milhões de ligações na véspera da eleição

Na véspera do segundo turno da eleição em São Paulo, o PT, do candidato Fernando Haddad, concentrou seus esforços no telemarketing. Ontem foram feitos cerca de 2,5 milhões de telefonemas para esclarecer os eleitores sobre a questão das parcerias com as Organizações Sociais (OSs) e pedindo votos para o petista.

DAIENE CARDOSO E GUSTAVO PORTO, Agência Estado

28 de outubro de 2012 | 10h42

Segundo um dos coordenadores da campanha de Haddad, vereador José Américo, a campanha disparou 2 milhões de chamadas telefônicas com a voz do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pedindo votos para Haddad. Já o próprio candidato do PT gravou mensagem para 500 mil ligações negando que, se eleito, vá acabar com as parcerias com entidades que administram hospitais.

Ainda de acordo com o vereador, a força-tarefa da campanha foi realizada até por volta das 21 horas deste sábado. No primeiro turno, a campanha já havia montado a mesma estratégia com o ex-presidente Lula e a ministra da Cultura, Marta Suplicy. Desta vez, no segundo turno, a preocupação era minimizar os efeitos da propaganda tucana. "Os boatos (da campanha de José Serra) não colaram", disse o vereador.

Haddad se reúne nesta manhã com lideranças petistas em hotel da região da Avenida Paulista. Ele deve deixar o hotel por volta do meio-dia para votar em uma universidade do bairro de Moema, na zona sul de São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.