PT deve formalizar acordo sobre Câmara e Senado

As direções nacional do PT e do PMDB negociam a divulgação, nas próximas horas, de um documento para formalizar o acordo entre os dois partidos que garante aos peemedebistas a indicação do presidente do Senado e aos petistas o presidente da Câmara. O assunto foi discutido na reunião dos dirigentes do PT com o ministro da Casa Civil, José Dirceu, e será o tema principal do almoço do comando do PMDB na residência do atual presidente do Senado, Ramez Tebet (MS). O resultado da reunião no Palácio do Planalto está sendo relatado ao líder do PMDB e candidato ao cargo, Renan Calheiros (AL), pelo senador eleito e futuro líder do governo, Aloizio Mercadante. Ontem a noite o líder do PT no Senado, Eduardo Suplicy (SP) se reuniu com Calheiros para informá-lo da adesão unânime da bancada petista à candidatura que a bancada do PMDB escolher. A mobilização tem o objetivo de encerrar as especulações sobre eventual apoio do PT à candidatura do senador José Sarney (PMDB-AP), que teria dificuldades para enfrentar Calheiros na bancada. Segundo o líder do PMDB, o ex-presidente da República não obteria, hoje, mais do que cinco votos entre os 21 senadores do partido. Veja o índice de notícias sobre o Governo Lula-Os primeiros 100 dias e o Congresso

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.