PT desiste de impor ministros e aceita até ceder vagas

Depois de mais de quatro meses de pressão, o PT desistiu de tentar impor nomes para o Ministério. Segundo o líder do PT na Câmara, Luiz Sérgio, o partido admite até perder cargos se isso for necessário para o governo manter sua coalizão de 11 partidos. Essa foi a posição transmitida pela Comissão Política do PT ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva em reunião de 90 minutos nesta segunda-feira, 12, no Palácio do Planalto, da qual Luiz Sérgio participou. Havia expectativa de que a direção do PT insistisse na nomeação da ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy para um ministério. O PT deixou o presidente à vontade para fazer a reforma que ele quiser, com ou sem Marta", disse Luiz Sérgio a jornalistas após a reunião. Luiz Sérgio acrescentou que o partido continuará apoiando o governo mesmo que Lula considere eventualmente necessário substituir ministros petistas por indicados de outros partidos da base. "Se ele (Lula) achar conveniente que tenhamos que perder espaço, nós vamos compreender e apoiar incondicionalmente", frisou. Lula convocou uma reunião do conselho político para quinta-feira, 15, data em que se espera o anúncio oficial dos novos ministros. Na véspera, Lula receberá o presidente do PMDB, Michel Temer, e o líder do partido na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.