PT denuncia uso de estrutura de secretarias por pré-candidatos tucanos

Após o 'Estado' revelar que áreas de comunicação foram usadas para tratar de assuntos relativos às prévias, a bancada petista na Câmara decidiu levar o caso para o Ministério Público

Bruno Siffredi, do estadão.com.br, e Gustavo Uribe, da Agência Estado

09 de fevereiro de 2012 | 19h18

O PT pediu nesta quinta-feira, 9, ao Ministério Público que investigue o uso indevido das Secretarias de Estado em favor dos pré-candidatos do PSDB, revelado por reportagem do jornal O Estado de S.Paulo na edição desta quinta. Uma representação foi protocolada pela bancada de vereadores do PT da Câmara paulistana.

 

O líder da bancada do PT, vereador Ítalo Cardoso, que assina a representação, afirmou que os fatos são graves e atentam contra a legislação eleitoral.

 

Segundo nota divulgada pelo partido, o pedido se baseia nas informações reveladas pelo Estado. O PT sustenta que os envolvidos e beneficiários da estrutura das secretarias infringiram a legislação eleitoral e podem ter incorrido em práticas de improbidade administrativa.

 

Os secretários do governo estadual Andrea Matarazzo (Cultura), Bruno Covas (Meio Ambiente) e José Aníbal (Energia), pré-candidatos do PSDB à Prefeitura, são apontados pelos petistas como possíveis beneficiários da prática.

 

A bancada de vereadores do PT já havia denunciado, na última semana, o uso do perfil da Secretaria da Cultura no Twitter para promover Matarazzo, após ter sido retuitada mensagem de apoio à sua pré-candidatura. Após o episódio, a secretaria alegou que a senha da conta teria sido roubada e garantiu que abriria um boletim de ocorrência na delegacia de crimes digitais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.