PT deixa em aberto apoio à taxação de inativos

A forte resistência à proposta de cobrar contribuição previdenciária dos servidores inativos, em especial entre parlamentares do PT, levou a cúpula do partid a adotar estratégia cautelosa. Na reunião da Executiva Nacional, nesta segunda-feira, em São Paulo, o PT deve fechar questão a favor das reformas da Previdência e tributária, mas adiar a definiçãosobre esse ponto."Vamos fechar questão sobre as propostas de reforma. Tomada a decisão, todos do PT serão obrigados a votar a favor", disse o presidente do PT, José Genoino. "Quanto à taxação dosinativos, não vamos fechar questão. Precisamos discutir mais o assunto na bancada."O estatuto do PT prevê punições, e até expulsão, para parlamentares que votarem contra propostasaprovadas internamente. Apesar do recuo na questão dos inativos, a Executiva nãodeve desistir de punir os deputados João Batista de Araújo (PA), o Babá, e Luciana Genro (RS), e a senadora Heloísa Helena (AL), que são duros críticos da reforma da Previdência e têmparticipado de protestos contra políticas do governo.A reunião desta segunda deve dar o primeiro passo formal para a expulsão dos rebeldes, com a apresentação de pedido para que suas atitudessejam investigadas pela comissão de ética do PT. Informalmente, a cúpula já decidiu expulsá-los.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.