Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

PT decide apoiar candidatura de Baleia Rossi à presidência da Câmara

Adesão à campanha é aprovada em reunião da bancada do partido; oposição também fecha com deputado do MDB

Camila Turtelli e Anne Warth, O Estado de S.Paulo

04 de janeiro de 2021 | 18h18
Atualizado 04 de janeiro de 2021 | 22h04

BRASÍLIA –  O PT e outros partidos de oposição decidiram anunciar nesta segunda-feira, 4, apoio conjunto à candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP) à presidência da Câmara. Mesmo assim, os petistas não esconderam a divisão. A adesão do PT, a maior bancada, à campanha do deputado foi aprovada por uma margem de apenas quatro votos: 27 a 23.

A eleição que renovará a cúpula do Congresso será no dia 1º de fevereiro e Baleia tem como principal adversário o líder do Progressistas, Arthur Lira (AL). Chefe do Centrão, Lira conta com o aval do Palácio do Planalto. A votação é secreta, o que abre a possibilidade de traições dentro de uma bancada que se mostrou dividida.

A oposição já havia assinado um documento em apoio ao bloco dos partidos aliados a Rodrigo Maia (DEM-RJ), do qual Baleia faz parte, mas parte do PT defendia o lançamento de um candidato próprio, o que poderia embaralhar a eleição e enfraquecer o emedebista. Mas o líder do PT na Casa, deputado Enio Verri (PR), reforçou a vontade do partido de impor nova derrota a Bolsonaro. “A tese que nos levou a esse apoio trata-se de se apoiar um candidato que não seja o de Bolsonaro”, disse Verri.

Juntos, PT, PSB, PDT, PC do B e Rede somam 119 deputados, considerando as bancadas atuais com as últimas mudanças, em razão das eleições municipais. Com dez parlamentares, o PSOL tem reunião agendada para o dia 15 e ainda pode somar mais votos ao bloco.

A definição desta eleição será decisiva para os últimos dois anos do governo de Bolsonaro. É o presidente da Câmara quem decide quais projetos serão votados ou na Casa e quais barrar, além de ser responsável por dar andamento ou engavetar pedidos de impeachment.       

Em nota, a oposição listou os compromissos assumidos por Baleia Rossi em troca do apoio dos partidos, como a defesa da Constituição, da democracia e da livre atuação da oposição na Câmara. A carta dos partidos cita ainda o comprometimento de dar espaço à oposição na Casa e de não barrar Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) e convocações de ministros do governo Jair Bolsonaro, além de pautar projetos de decreto legislativo, capazes de derrubar decretos presidenciais.

Baleia já tem o apoio do seu partido, do qual é o presidente, além do PSDB, DEM, Cidadania, PV e do rachado PSL. Essas siglas somam atualmente 159 deputados. Com a oposição, o bloco fica com 278. Nas redes sociais, ele comemorou o anúncio. “A #FrenteAmpla ficou ainda maior. O PT anunciou apoio a nossa candidatura. É um grande dia para quem defende uma Câmara livre e independente. Somos 11 partidos diferentes. Divergimos em muitos assuntos. Mas estamos juntos na defesa de uma democracia viva e forte!”,disse.

Na outra ponta, o bloco de Lira, líder do Centrão, tem o aval de dez partidos (Progressistas, PL, Republicanos, PSD, Solidariedade, PTB, Pros, PSC, Avante e Patriota), que somam 203 parlamentares. Para ganhar a eleição, o candidato precisa ter a maioria dos votos dos 513 deputados, ou seja 257 votos em primeira votação, ou ser o mais votado em segundo turno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.