PT de BH desafia direção nacional e confirma aliança com Aécio

Roberto Carvalho, deputado petista, é confirmado como vice na chapa de Lacerda, secretário do governador

Leonardo Werner, Especial para o Estado,

27 de abril de 2008 | 14h52

O diretório municipal do PT em Belo Horizonte desafiou a Executiva Nacional do partido e confirmou na manhã deste domingo, 27, a aliança com o PSDB na capital mineira nas eleições municipais deste ano. O partido manteve a indicação de Roberto Carvalho, deputado estadual petista, como vice na chapa liderada por Márcio Lacerda (PSB), secretário de Desenvolvimento Econômico do governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB. Lacerda também é afilhado político do deputado Ciro Gomes (PSB-CE) e é visto pela cúpula petista como um tucano infiltrado por causa do cargo que exerce no governo estadual.   Veja também:   PT veta aliança com PSDB em Belo Horizonte por causa de Aécio  Marta deve antecipar saída para eleição  PMDB formaliza apoio à reeleição de Kassab   A escolha foi uma demonstração de que os petistas de Belo Horizonte vão enfrentar o veto imposto pela Executiva Nacional na última quinta-feira a uma aliança com o PSDB para o pleito deste ano. A resolução aprovada pela cúpula petista deixou claro que não autorizará, ''em nenhuma hipótese'', o PT a participar de coligação integrada pelo PSDB no Estado. O documento destaca que o simbolismo de uma aliança entre os dois partidos ''extrapola a dimensão política de um simples acordo municipal'' porque o governo Aécio ''não se coaduna com o que o PT quer para Minas e muito menos para o Brasil''. Ou seja, para o partido a aliança em Belo Horizonte ultrapassa a esfera municipal, uma vez que Aécio é potencial candidato à Presidência da República em 2010.   Idealizador da aliança, juntamente com Aécio, o prefeito de Belo Horizonte, o petista Fernando Pimentel, compareceu ao encontro do diretório petista nesta manhã. De acordo com ele, é firme a posição do partido na capital mineira de levar adiante a candidatura de Carvalho e Lacerda. Pimentel afirmou que irá continuar lutando pela idéia, apesar da resistência que vem encontrando. A aliança entre PT e PSDB vinha sendo articulada desde meados do ano passado.   Ainda segundo a resolução do partido, o PT considera o PSB, o PCdoB e o PDT como aliados prioritários nas eleições de 2008. "O DN (diretório nacional) e o diretório estadual de Minas Gerais consideram o governo Aécio Neves uma administração comprometida com políticas frontalmente distintas daquelas que compõem nosso ideário e o nosso programa de governo", informa a resolução.   Nesta terça-feira o PSB irá realizar uma reunião, na qual definirá sua postura a respeito da questão na capital mineira. Novamente será uma briga entre a direção nacional do partido - que dá apoio ao veto petista - e a ala mineira, defensora de que, com a participação dos tucanos, a chapa ganhará força. Fato é que, mesmo entre os petistas de Belo Horizonte, depois do veto da executiva nacional do PT à aliança, a idéia de uma candidatura própria também vem ganhando força.   Texto ampliado às 16h40

Tudo o que sabemos sobre:
Aécio NeveseleiçõesBelo Horizonte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.