PT dará ajuda prioritária a candidatos de três capitais

O PT nacional vai dar ajuda financeira e política para tentar levar um petista ao segundo turno da disputa pela prefeitura de três capitais: Salvador, com o deputado Walter Pinheiro; Porto Alegre, com a deputada Maria do Rosário, e Natal, com a deputada Fátima Bezerra. Além destas três prioridades, o grupo de trabalho que a direção nacional escalou para cuidar de eleições municipais decidiu ontem que o partido também dará atenção especial à tentativa de reeleição do prefeito de Palmas, Raul Filho.A presença de Marta Suplicy na segunda rodada da briga pela Prefeitura de São Paulo não foi tema de debate porque é dada como certa e já encabeça a lista das prioridades. A reunião de ontem foi para avaliar a situação do partido em cada região e identificar em que cidades o PT deve investir mais nesta reta final. Na avaliação dos dirigentes nacionais, o PT deve vencer a eleição em primeiro turno, com candidato próprio, em cinco capitais: Recife, Fortaleza, Vitória, Rio Branco e Porto Velho.Na reunião, o presidente nacional do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), deixou claro que todas as capitais são prioridade. A ajuda financeira, entretanto, será direcionada aos candidatos que demonstram maior potencial eleitoral para saírem vitoriosos.É o caso de Walter Pinheiro, que largou com apenas 2% da preferência do eleitorado, depois de uma disputa interna com outros três petistas, e hoje está em segundo lugar.O próprio PT reconhece que a eleição em Salvador está embolada entre quatro candidatos, entre eles o prefeito João Henrique (PMDB), que disputa a reeleição. Mas considera fundamental investir em Pinheiro não só por se tratar da terceira maior cidade do País, como também porque é questão de honra derrotar a candidatura do deputado ACM Neto (DEM), seu mais ferrenho adversário.Nenhum petista receberá dinheiro do Diretório Nacional. Assim como foi feito na primeira rodada de ajuda aos candidatos, os repasses serão feitos aos diretórios regionais, com a recomendação de investir nas prioridades do partido. Em alguns casos, em vez de liberar recursos, a direção vai autorizar despesas, mediante a previsão de ingresso de receita. A preocupação de Berzoini é não deixar dívidas pendentes depois da campanha.A direção petista também conta com a vitória em outras três capitais em que apóia candidatos da base aliada: Goiânia, com Íris Resende (PMDB); Belo Horizonte, com Márcio Lacerda (PSB), e Aracaju, com a reeleição do prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.