PT cria comissão para negociar Previdência com servidores

A bancada do PT na Câmara decidiu, em reunião que terminou no final da tarde desta quarta-feira, criar uma comissão de deputados e sindicalistas petistas para tentar negociar pontos do relatório do deputado José Pimentel (PT-CE) sobre a proposta de reforma da Previdência. A comissão, que tem reunião marcada para amanhã de manhã, vai pedir ao presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), que faça a intermediação entre servidores e governo. "A bancada está assumindo o compromisso da negociação, para que a proposta seja mais fiel ao conjunto de interesses do serviço público", disse o deputado Chico Alencar (PT-RJ). A reunião da bancada contou com a participação de sindicalistas filiados ao PT que integram a executiva da CUT. As representantes da Central reclamaram que o debate da reforma foi "precário, tramitou a toque de caixa e as negociações foram insuficientes". Para as sindicalistas, apenas o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, os governadores e o Judiciário tiveram oportunidade de interferir. O deputado João Alfredo (PT-CE) disse que alguns sindicalistas petistas já manifestaram o propósito de, no limite, se não houver negociação, pedir aos deputados do PT que votem contra a proposta. Os principais pontos que os sindicalistas pretendem alterar, segundo João Alfredo, são: o teto das pensões, isentar os inativos da contribuição previdenciária, mexer nas regras de transição e no fundo de pensão e definir mais claramente, no relatório, a integralidade e a paridade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.