PT comemora 22 anos de fundação

Um mês depois da morte do prefeito de Santo André, Celso Daniel, a cúpula do PT comemorou, na noite desta quarta-feira, no Rio, os 22 anos de fundação da legenda. O ato, realizado na sede do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-RJ), no centro, coincidiu com o aniversário de 90 anos do militante histórico Apolônio de Carvalho, homenageado na ocasião.O presidente do PT, José Dirceu, aproveitou a solenidade para reclamar da imprensa. ?Tenho me indignado com a imprensa?, disse o deputado federal, citando o caso da morte de Daniel e do seqüestro do publicitário Washington Olivetto.Na opinião de Dirceu, a imprensa tenta estigmatizar o PT ao relacionar o crime ao seqüestro do empresário Abílio Diniz, em 1989, quando surgiram suspeitas de envolvimento de petistas na ação. Ele negou ainda ter declarado que o PT deixou de ser um partido de esquerda.A vice-governadora e candidata ao governo do Rio, Benedita da Silva, e o senador Eduardo Suplicy, pré-candidato à presidência, também discursaram para a militância. O último a falar foi o presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva.Extremamente bem-humorado e ácido, ele voltou a afirmar a necessidade de alianças, mas sem citar o PL. ?No primeiro turno de 1989, eu tive 7% dos votos no Rio. Só no segundo turno, depois que o Brizola nos apoiou, cheguei a 70%?, lembrou. Lula disse nunca ter tido tanta convicção sobre a possibilidade de vitória na disputa presidencial como agora, mas alertou que em todas as vezes em que o partido deixou de fazer alianças, perdeu as eleições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.