PT cogita levar assessor de Haddad para Minas

PT cogita levar assessor de Haddad para Minas

Mário Spinelli, responsável pela descoberta da chamada 'máfia do ISS' em São Paulo, é sondado para criar órgão no governo mineiro

BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

07 de novembro de 2014 | 02h02

Responsável pela descoberta da máfia do Imposto Sobre Serviços (ISS) e de esquemas que resultaram na prisão de 11 servidores municipais de São Paulo, o controlador-geral do Município, Mário Spinelli, vem sendo sondado por setores do PT para criar um órgão de auditoria no futuro governo de Fernando Pimentel em Minas Gerais.

Uma das expectativas é de que o trabalho de Spinelli, mineiro de Juiz de Fora, possa trazer à tona "esqueletos" do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Presidente do principal partido de oposição ao governo Dilma Rousseff, o tucano governou Minas de 2003 a 2010.

Spinelli ainda não aceitou o convite. O prefeito Fernando Haddad (PT) não quer liberá-lo. Segundo fontes no Executivo municipal, o controlador-geral é visto como um "republicano", que até poderia aceitar o convite para criar uma controladoria mineira, mas não com o objetivo de prejudicar Aécio.

A decisão deve ser tomada apenas em dezembro, quando está previsto o lançamento de novos mecanismos de controle na capital paulista sob responsabilidade de Spinelli. Ele aguarda ainda que a Câmara Municipal aprove a criação de uma carreira de auditores internos - técnicos que dariam mais poder de fiscalização à Controladoria.

Em Minas, por outro lado, Spinelli teria autonomia para criar mecanismos de fiscalização que incluem a obrigação de que servidores públicos entreguem declarações de bens anualmente, além de projetos de transparência em contas públicas.

O Estado procurou a assessoria de Pimentel, mas não obteve resposta. Presidente do PT de Minas, Odair Cunha não quis falar sobre o assunto. A comissão de transição não comentou. / COLABOROU MARCELO PORTELA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.