PT cobra do governo de SP rápida apuração da morte de prefeito

A cúpula do PT cobrou hoje da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo a rápida apuração do assassinato do prefeito de Campinas, Antonio da Costa Santos (PT), morto na segunda-feira à noite. Os dirigentes do partido não descartaram a hipótese do assassinato ter acontecido por motivos políticos. ?Seria precipitado fazer um julgamento. Só estou achando que é estranho alguém matar para roubar e não levar nada?, afirmou Luiz Inácio Lula da Silva, presidente de honra do partido e pré-candidato à Presidência em 2002.Toninho, como o prefeito era conhecido, foi morto com um tiro. Seus pertences e as sacolas de compras que estavam no carro que ele dirigia não foram levados. O deputado federal José Dirceu (PT-SP) disse acreditar que o fato de o secretário de Segurança Pública, Marco Vinicio Petrelluzzi, estar acompanhando pessoalmente o caso, pode acelerar a elucidação do crime. ?Não devemos afastar a hipótese de atentados político, mas seria errado afirmar que foi?, disse.Para Dirceu, a questão da segurança está ficando grave em São Paulo e no Brasil. ?O governo federal não tem sido capaz de, junto com os governos estaduais, fazer as alterações necessárias na política de segurança pública?, afirmou.Lula disse que no Brasil há uma grande quantidade de crimes que não são desvendados. ?Ora, por ineficiência da polícia, ora porque não há condições materiais para fazer isso. Espero que nesse caso seja diferente?, afirmou. Lula disse que Toninho era um petista de ?quatro costados?. ?Ele era uma figura exemplar, tudo aquilo que as pessoas gostariam de ter como companheiro. Era uma pessoa dedicada e levava até o fim aquilo que acreditava?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.