PT busca alianças regionais para Dilma

Berzoini fará maratona de viagens para negociar alianças com partidos da base e resolver entraves nos Estados

Clarissa Oliveira, O Estadao de S.Paulo

20 de fevereiro de 2009 | 00h00

O presidente nacional do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), vai começar logo após o carnaval uma maratona de viagens pelo País, para dar início à negociação de alianças para a eleição presidencial de 2010. Além de abrir o diálogo com as direções nacionais dos principais partidos da base do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o PT quer evitar que dificuldades de composição nos Estados prejudiquem a obtenção de apoio à candidatura da chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.A ideia é traçar um diagnóstico da relação regional do PT com aliados e detectar pontos de conflito. Para completar o plano, o PT fala em montar também uma agenda de eventos para Dilma nos Estados, fora do horário de expediente. Entre as regiões consideradas problemáticas estão Minas Gerais e Rio Grande do Sul. O primeiro é local de nascimento de Dilma. O segundo, seu berço político. "Queremos aprofundar o diálogo com todos os partidos da base", disse o secretário-geral do PT, deputado José Eduardo Martins Cardozo (SP). "O PT não pode querer uma candidatura presidencial descolada da realidade dos Estados", emendou o secretário de Formação Política, Joaquim Soriano. O plano petista tem explicação. Na última eleição, o ex-governador Orestes Quércia (PMDB) apoiou o prefeito Gilberto Kassab (DEM) em troca de vaga para o Senado. De quebra, garantiu ao governador José Serra (PSDB) apoio do PMDB paulista para disputar o Planalto.AVISOQuércia avisa que não recua: "Queremos evitar que o PT fique no governo após a saída de Lula".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.