PT barra militantes para garantir segurança de Dilma

Entrada só foi permitida após protesto dos militantes, que bateram com força e empurraram as portas; o discurso do presidente do PT, Rui Falcão, foi interrompido por gritos de 'abre, abre, abre'

Andrea Jubé Vianna, da Agência Estado

02 Setembro 2011 | 20h23

BRASÍLIA - O discurso do presidente nacional do PT, Rui Falcão, nesta sexta-feira, 2, durante o 4º Congresso Nacional do partido, foi interrompido pelos gritos de "abre, abre, abre", de centenas de militantes que ficaram presos do lado de fora do auditório onde se realiza o evento. Para garantir a segurança da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a polícia da Presidência da República só permitiu a entrada de 1.500 pessoas, público máximo que o lugar comporta sentados.

Havia amplo espaço, entretanto, para pessoas que ficassem de pé. Diante da pressão dos militantes - que bateram com força e empurraram as portas -, a entrada deles foi permitida. Para serenar os ânimos, Rui Falcão brincou: "esse é um partido bom, muitos querendo sair dos outros (partidos), e aqui, brigam pra entrar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.