PT avalia processar candidato a vice de Serra

Índio da Costa (DEM) ligou PT à guerrilha colombiana e chamou Dilma de 'esfinge do pau oco'

Felipe Recondo, da Agência Estado

18 Julho 2010 | 19h56

BRASÍLIA - A cúpula do PT reúne-se na segunda-feira, 19, para avaliar a possibilidade de processar o candidato a vice-presidente na chapa de José Serra (PSDB), Índio da Costa (DEM). Em entrevista concedida ao portal que integra a campanha tucana, ele ligou o PT às Forças Revolucionárias Armadas da Colômbia (Farc), ao narcotráfico e chamou a candidata do PT, Dilma Rousseff, de ateia e "esfinge do pau oco".

 

Veja também:

TSE multa Índio da Costa por pedir votos

 

Todo mundo sabe que o PT é ligado às Farc, ligado ao narcotráfico, ligado ao que há de pior. Não tenho dúvida nenhuma disso", afirmou. Depois, respondendo a uma provocação feita por Dilma em comício no Rio de Janeiro de que seu vice, Michel Temer (PMDB), não foi improvisado, chamou a candidata petista de ateia e "esfinge do pau oco".

 

Pela internet, o presidente do PT, José Eduardo Dutra, reagiu às declarações de Indio da Costa. "Esse Indio desqualificado quer ser processado. O problema é que ele não vale o custo do papel necessário para a petição", afirmou Dutra.

 

No final da tarde de hoje, o presidente do PT informou que vai se reunir com o secretário geral do partido, José Eduardo Cardozo, para discutir o assunto. E adotou a ironia para tratar do caso: "Amanhã, eu e o Cardozo vamos discutir a questão do Indio. Adianto, que não concordo em chamar o General Custer". O secretário nacional de Comunicação do PT, deputado André Vargas (RS), também ironizou: "O Indio do Serra deveria continuar mostrando como conhece a política nacional. É o vice dos nossos sonhos. Tá ajudando muito mesmo".

 

Mesmo aliados da campanha do PSDB admitem que Índio da Costa errou nos ataques feitos ao PT e à Dilma. O presidente do PSDB, Sérgio Guerra, preferiu se esquivar do assunto. Disse que preferia se manifestar depois de conversar com o vice de Serra. "Já ouvi falar muitas vezes de ligação do PT com as Farc, mas não tenho elementos para dizer que há ligações do partido com as Farc", afirmou.

 

Apesar disso, o líder do DEM na Câmara, deputado Paulo Bornhausen (SC), saiu em defesa do companheiro de partido. "O vice Indio falou o que todos já sabem. O PT tem ligações umbilicais com as Farc, que, por sua vez, vive do narcotráfico. O que falta é a Justiça agir!", postou o deputado no seu twitter.

Mais conteúdo sobre:
eleição Indio da Costa PT processar

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.