Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

PT anunciou 'firmemente' apoio ao ajuste fiscal, diz líder do governo na Câmara

Após encontro com Temer, ministros e líderes de partidos, José Guimarães (PT-CE) afirma haver 'condições políticas' para votação

BERNARDO CARAM, O Estado de S. Paulo

06 de maio de 2015 | 11h16

O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), afirmou que o PT anunciou "firmemente" na manhã desta quarta-feira, 6, o apoio às medidas provisórias que mudam regras trabalhistas e previdenciárias, parte importante do ajuste fiscal promovido pela equipe econômica do governo Dilma Rousseff. "Acredito que estão criadas as condições políticas para votarmos a MP 665 ainda hoje no plenário da Câmara", afirmou.

Guimarães participou do café da manhã promovido pelo vice-presidente Michel Temer, com a participação de ministros e líderes de partidos na Câmara. O encontro foi mais uma etapa de negociação para garantir a aprovação das MPs, depois que a Câmara adiou na noite dessa terça, 5, a apreciação da MP 665. "Os demais líderes falaram que essa posição é central para a votação e discussão da matéria", afirmou, ressaltando que o PMDB vai se reunir para definir posição.

Nessa terça, os peemedebistas condicionaram o apoio ao texto à garantia de que o PT também apoiaria. Segundo ele, todos sinalizaram apoio irrestrito à aprovação na reunião desta quarta.

O líder disse que terá mais de dez reuniões com bancadas de partidos ao longo do dia. Questionado se haverá punição a parlamentares do PT que votarem contra a MP, respondeu: "Se algum deputado não votar, é uma questão que o partido trata depois".

Participaram do encontro os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, da Previdência Social, Carlos Gabas, da Secretaria-Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto, das Comunicações, Ricardo Berzoini, e do Turismo, Henrique Eduardo Alves, além do secretário-executivo do ministério do Planejamento, Dyogo Oliveira.

Tudo o que sabemos sobre:
ajuste fiscalJosé Guimarães

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.