PT anuncia ação contra Serra e diz que PSDB tenta ganhar eleição no tapetão

Deputado José Eduardo Cardozo, secretário geral do PT, afirmou que PSDB age com 'óbvios fins eleitorais'

Jair Stangler/SÃO PAULO, Estadão.com.br

02 de setembro de 2010 | 15h41

O secretário-geral do PT, deputado José Eduardo Cardozo, anunciou na tarde desta quinta-feira, 2, que o partido irá entrar com uma ação contra o candidato tucano à Presidência, José Serra, que acusa o PT e a candidata Dilma Rousseff de estarem por trás da violação do sigilo de Verônica Serra, filha de Serra, e de mais quatro tucanos.

 

O petista classificou como "inaceitável" a acusação dos tucanos e disse que o PSDB age com "óbvios fins eleitorais." Segundo Cardozo, a ação se dá porque Serra faz uma imputação falsa de crime contra Dilma e contra o PT. O deputado anunciou também que o PT vai encaminhar ao Ministério Público Federal uma representação contra o senador Sérgio Guerra, presidente do PSDB, por injúria, calúnia e difamação e contra todas as declarações que fazem as mesmas acusações contra o PT.

 

"Achamos que está se usando uma situação que em si é deplorável, que é a quebra de sigilos de várias pessoas, para tentar associar esse fato à nossa candidatura, no desespero eleitoral, no desespero daqueles que não tem argumentos, para enfrentar um processo eleitoral como esse", afirmou. De acordo com Cardozo, o PSDB tenta ganhar a eleição no "tapetão". "Nós somos os maiores interessados que essa apuração acabe logo. Aliás, foi o PT que pediu a investigação a PF", acrescentou.

 

Ainda segundo ele, "esses fatos não tem absolutamente nada a ver com a candidatura Dilma."

 

Cardozo disse desconhecer a apuração. "O que eu sei é o que eu vejo pela imprensa. Nossos adversário tiveram porque conseguiram uma liminar. Aparentemente a Receita estava diante de uma falsificação, e você pode ser induzido a um equívoco", disse.

 

Cardozo afirmou ainda que o PT não teme a investigação. "Se nós tivéssemos receio de alguma investigação, nós não teríamos pedido a investigação. Agora, depois de muito tempo, vieram criar um factoide, uma tentativa desesperada de tentar mudar o rumo da campanha", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.