PT ameaça obstruir votação de matérias governistas

O aumento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), anunciado ontem pelo ministro da Fazenda, Pedro Malan, irritou a bancada petista no Congresso, que ameaça agora obstruir a votação de outras matérias de interesse do governo."Essa decisão (aumento do IOF) é um absurdo. O governo decidiu isso para compensar a perda de arrecadação com o atraso na votação da CPMF, mas o atraso só ocorreu por culpa da briga entre PFL e PSDB. A sociedade não pode pagar por isso. O povo não pode ser punido", afirmou o deputado federal e pré-candidato do PT ao governo paulista, José Genoíno.Genoíno afirmou que, entre as medidas que o PT estuda, está a obstrução da votação de matérias de interesse do governo. "Vamos, pelo menos, protestar", garantiu ele.O deputado federal Ricardo Berzoini (PT-SP) também criticou o reajuste. "Isso reflete a completa insensibilidade política e econômica do governo. A CPMF já é ruim, o IOF, que vai incidir em qualquer operação de crédito, é pior ainda", considerou Berzoini.O deputado federal petista reiterou que o atraso na votação da CPMF é de responsabilidade da "base governista". E afirmou também que o PT está analisando quais medidas políticas e jurídicas podem ser tomadas. "Não vai ser fácil, porque o aumento do IOF é prerrogativa do poder Executivo", disse.O aumento do IOF foi anunciado ontem pelo ministro da Fazenda, Pedro Malan. A implementação do reajuste será feita por portaria, sem necessidade de aprovação da Câmara e do Senado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.