TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Casagrande, do PSB, endossa post que critica PT por aliança 'até com satanás'

Governador do Espírito Santo concordou com comentário feito pelo subsecretário estadual de Políticas Sobre Drogas; ele tem sido criticado por receber Sérgio Moro em meio às tratativas por uma federação com o partido de Lula

Davi Medeiros, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2022 | 11h09

Após ser criticado por petistas por receber o presidenciável Sérgio Moro (Podemos) na residência oficial do governo capixaba, o governador Renato Casagrande (PSB) endossou um comentário afirmando que o PT já fez alianças “até com satanás”. O capixaba tomou café com o ex-ministro da Justiça no último sábado, 12, o que fez piorar o clima por uma federação com o partido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

“O PT quando esteve no poder fez aliança até com satanás, agora vem querer regular quem o governador recebe? Me poupem desse falso moralismo ou puritanismo ideológico!”, escreveu o subsecretário estadual de Políticas Sobre Drogas, Carlos Lopes, em uma rede social. Casagrande curtiu a publicação e comentou: “Boa afirmação, amigo!!!”. 

O encontro com o ex-juiz, um dos principais adversários de Lula na corrida eleitoral deste ano, gerou incômodo no diretório capixaba do PT. A presidente da sigla no Estado, Jackeline Rocha, avaliou que a reunião causou “desconforto”. 

“Infelizmente, foi um gesto ruim, sobretudo pelo fato de (Casagrande) ser um dirigente nacional e histórico do seu partido, com quem o PT dialoga uma agenda para o País. Não é uma divergência com o PSB em si, mas sim com o governador”, disse ela. 

O Espírito Santo representa um dos muitos imbróglios para a formação de uma federação entre PT e PSB. Antes de inaugurar as conversas em torno da aliança com a legenda de Carlos Siqueira, o ex-presidente Lula convidou o senador Fabiano Contarato (ex-Rede) para ser um quadro petista, indicando uma possível candidatura ao governo do Estado. O PSB, por sua vez, acena para a reeleição de Casagrande. 

Por meio de sua assessoria, o governador capixaba afirmou no sábado que “está à disposição para receber as lideranças políticas que queiram conversar sobre o futuro do Brasil e do Espírito Santo”. Ele destacou ainda que o “diálogo fortalece a democracia”. Além de Moro, o governador já recebeu os presidenciáveis João Doria (PSDB) e Ciro Gomes (PDT).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.