PT agora quer investigação de contratos com Siemens

Os deputados estaduais do PT de São Paulo pedem ao Ministério Público a abertura de investigação sobre os contratos da empresa alemã Siemens com o governo paulista. Os petistas vêem semelhança entre o modo de ação dos alemães e o esquema de propina que a francesa Alstom está sendo acusada de exercer. A Justiça alemã acusa a Siemens pagar suborno a autoridades da Rússia, da Nigéria e da Líbia. Um dos ex-diretores da companhia contou aos magistrados alemães que houve pagamentos a autoridades do Brasil."Há evidências de pagamento de propina ao governo de São Paulo. São vários os contratos considerados irregulares pelo Tribunal de Contas", afirmou o líder do PT na Assembléia, Roberto Felício. Alguns são em parceria com a Alstom.Um relatório de auditoria externa na Siemens na Alemanha apontou evidências de práticas ilegais em várias divisões da empresa. A companhia trabalha com a cifra de 1,3 bilhão que teria saído de seus cofres para pagamento de propinas. Entre 1990 e 2008, segundo o PT, foram firmados 146 contratos entre o governo paulista e a Siemens, num total de R$ 2,75 bilhões, principalmente com o Metrô e a CPTM.Para o líder do governo na Assembléia, Barros Munhoz (PSDB), a denúncia é eleitoreira. "É uma jogada para beneficiar a Marta contra o Alckmin", disse, em referência ao ex-governador e candidato tucano à Prefeitura de São Paulo. Geraldo Alckmin classificou como "politicagem" a iniciativa da bancada do PT. Segundo ele, não há problemas em investigar os contratos, mas "não há nenhum fato, nada". "Já no caso do PT tinha dólar na cueca, dinheiro no exterior pagando campanha, mensalão comprovado", provocou. "Há um esforço do PT para dizer que somos todos iguais, mas não somos."A Siemens, por meio de nota, informou "que todos os contratos de fornecimento aos órgãos governamentais pela empresa foram realizados de acordo com a legislação, seguindo rigorosos procedimentos licitatórios, obedecendo aos critérios preestabelecidos pelos órgãos competentes". TROCA DE JUIZÀs vésperas do tão esperado anúncio do resultado sobre as investigações de corrupção contra a Alstom, a Suíça troca de juiz. O Tribunal Penal da Suíça comunicou que o juiz Ernst Roduner optou por se aposentar, em plena conclusão de suas investigações. Em entrevista ao Estado há dois meses, Roduner confirmou que obteve informações bancárias que demonstram pagamentos suspeitos por parte da Alstom a funcionários públicos estrangeiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.