PT acusa TV estatal do Paraná de censurar Dilma

O diretório municipal do PT em Curitiba pediu hoje que o Ministério das Comunicações investigue as razões pelas quais a TV Educativa, agora chamada de É-Paraná, gerenciada pelo governo do Paraná, deixou de transmitir o pronunciamento do ministro das Cidades, Mário Negromonte, e metade do proferido pela presidente da República, Dilma Rousseff, em solenidade, quinta-feira, na capital paranaense. Segundo o PT, a emissora teria transmitido na íntegra os discursos do governador Beto Richa (PSDB) e do prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB).

EVANDRO FADEL, Agência Estado

14 de outubro de 2011 | 19h21

"Nos indigna o comportamento imaturo e antidemocrático que motivou a censura na transmissão da TV Educativa do Paraná. Entendemos que esse tipo de atitude não seja gratuita e nem tão pouco aconteça sem uma ''ordem vinda de cima''", disse a presidente do diretório, Roseli Isidoro, em uma nota. Integrantes do PT postaram sua indignação em redes sociais no momento dos discursos.

Também em nota a direção da emissora disse que a cerimônia não foi transmitida ao vivo, mas por "diversos boletins ao vivo, dentro da programação da emissora". "O discurso da presidente Dilma Rousseff foi transmitido durante 10 minutos sem interrupção", acentuou a nota. Dilma falou por pouco mais de 20 minutos. Segundo a emissora, a presidente apareceu outros três minutos. "Este tempo, 13 minutos, foi o mesmo tempo de transmissão do discurso do governador do Paraná, Beto Richa", disse a nota. "Assim, informamos que a cobertura da É-Paraná foi imparcial, sem qualquer favorecimento a alguém."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.