PT acusa membros do Solidariedade em SP de atos de intolerância

Presidente do partido de oposição, David Martins, creditou a voluntário a confusão e diz que a legenda também repudia atos de afronta

Valmar Hupsel Filho, O Estado de S. Paulo

14 Abril 2015 | 21h04

São Paulo - O diretório municipal do PT vai entrar com uma representação na Justiça Eleitoral para denunciar militantes do Solidariedade que retaliaram um ato feito pelos petistas no centro de São Paulo, nesta teça-feira, 14. De acordo com o presidente do PT-SP, o vereador Paulo Fiorilo, militantes do partido faziam uma panfletagem na Praça Ramos de Azevedo, em frente ao Teatro Municipal, por volta das 13 horas quando membros do Solidariedade, que no mesmo local colhiam assinaturas para o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, provocaram e xingaram petistas e rasgaram materiais que estavam sendo distribuídos. 

Fiorilo disse que apesar de não ter havido confronto físico, o partido repudia "a atitude de afronta, intolerância e ódio" de militantes do Solidariedade. Segundo ele, atividades como a que foi feita nesta terça são realizadas mensalmente pelo partido, num projeto chamado PT na Rua, e vão continuar acontecendo. "Não serão eles que vão nos intimidar", disse. Em nota, o PT ressalta "a necessidade de manifestar o repúdio ao ocorrido, e considera inadmissível atos de intolerância e afronta a partidos políticos".

O presidente do diretório do Solidariedade de São Paulo, David Martins, disse que o partido tem voluntários espalhados pela cidade colhendo assinaturas para o impeachment e creditou a eles a responsabilidade pelo ocorrido. "Deve ter sido pessoas simpatizantes com a causa do impeachment que estavam colhendo as assinaturas.  Não é objetivo do Solidariedade confrontar ninguém. Nós também repudiamos o que aconteceu", disse. 

"Íntegra da nota do PT-SP

O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores de São Paulo repudia veementemente a manifestação de afronta dos representantes do Partido Solidariedade durante a atividade pública realizada, nesta terça-feira
(14/04) pelos militantes do PT.

O Partido dos Trabalhadores realiza mensalmente a atividade chamada PT na Rua, na Praça Ramos de Azevedo, em frente ao Teatro Municipal, no período do almoço, entre 12h e 14h. Durante a realização do ato hoje, militantes do Partido Solidariedade vieram afrontar com provocações, xingamentos e rasgando os materiais distribuídos pelos militantes do PT, que faziam o ato com panfletagem e discursos sobre a crise da falta de água, e a necessidade de reforma política.

Embora a militância tenha concluído o ato e não tenha havido confronto físico, o partido ressalta a necessidade de manifestar o repúdio ao ocorrido, e considera inadmissível atos de intolerância e afronta a partidos políticos. O Diretório Municipal continuará realizando as atividades no local, e para evitar que atitudes como essas permaneçam, o PT entrará com uma representação na Justiça Eleitoral para que apure a atitude dos militantes do Partido Solidariedade.

Paulo Fiorilo
Diretório Municipal do São Paulo"

Mais conteúdo sobre:
PTSolidariedade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.