DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

PSOL vai fazer levantamento de emendas distribuídas para garantir votos na CCJ

Se comprovada a prática, partido deve entrar com representação no MP para que o órgão verifique a ocorrência de corrupção passiva e ativa

Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2017 | 13h56

BRASÍLIA - Partido de oposição ao governo Michel Temer (PMDB), o PSOL está fazendo um levantamento das emendas parlamentares que estariam sendo distribuídas pelo Palácio do Planalto para garantir um resultado favorável na votação da denúncia contra o presidente da República, na Câmara dos Deputados. Se comprovada a prática, o partido promete entrar com uma representação no Ministério Público para que o órgão verifique a ocorrência de corrupção passiva e ativa.

Segundo o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), o governo só conseguiu aprovar um parecer contrário ao prosseguimento da denúncia por conta de "um esquema espúrio de compra de apoio, de tráfico com emendas e oferta de cargos".

"Nós estamos fazendo levantamento detalhado da emendas, cotejando o que foi e para quem foi. Em concluído esse trabalho, nós vamos representar ao MP para que verifique a prática de corrupção ativa, por parte do Executivo, e passiva, por parte dos parlamentares que tenham recebido esses montantes muito mais volumosos que a média para votar com o governo", acusou.

O levantamento será feito pelo partido durante o recesso parlamentar. "Isso é uma prática rebaixada da politicagem mais rasteira, e com dinheiro público. Assim como o balcão de negócios do governo, armado no Palácio do Planalto, não terá recesso, nós também não teremos", complementou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.