DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

PSOL vai fazer levantamento de emendas distribuídas para garantir votos na CCJ

Se comprovada a prática, partido deve entrar com representação no MP para que o órgão verifique a ocorrência de corrupção passiva e ativa

Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

14 Julho 2017 | 13h56

BRASÍLIA - Partido de oposição ao governo Michel Temer (PMDB), o PSOL está fazendo um levantamento das emendas parlamentares que estariam sendo distribuídas pelo Palácio do Planalto para garantir um resultado favorável na votação da denúncia contra o presidente da República, na Câmara dos Deputados. Se comprovada a prática, o partido promete entrar com uma representação no Ministério Público para que o órgão verifique a ocorrência de corrupção passiva e ativa.

Segundo o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), o governo só conseguiu aprovar um parecer contrário ao prosseguimento da denúncia por conta de "um esquema espúrio de compra de apoio, de tráfico com emendas e oferta de cargos".

"Nós estamos fazendo levantamento detalhado da emendas, cotejando o que foi e para quem foi. Em concluído esse trabalho, nós vamos representar ao MP para que verifique a prática de corrupção ativa, por parte do Executivo, e passiva, por parte dos parlamentares que tenham recebido esses montantes muito mais volumosos que a média para votar com o governo", acusou.

O levantamento será feito pelo partido durante o recesso parlamentar. "Isso é uma prática rebaixada da politicagem mais rasteira, e com dinheiro público. Assim como o balcão de negócios do governo, armado no Palácio do Planalto, não terá recesso, nós também não teremos", complementou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.