PSOL vai ao STF pedir apuração das acusações contra Dantas

O PSOL anunciou que vai protocolar na quarta-feira à tarde, no Supremo Tribunal Federal (STF), um abaixo-assinado - para ser encaminhado aos 11 ministros - contra a impunidade e os privilégios e pedindo apuração de crimes supostamente cometidos, segundo investigação da Polícia Federal, pelo sócio-fundador do Banco Opportunity Daniel Dantas. Dantas foi preso por ordem do juiz Fausto Martin De Sanctis e solto por decisão do presidente do STF, ministro Gilmar Mendes.   "Nós, cidadãs e cidadãos do Rio, fazemos chegar ao Supremo Tribunal Federal nossa suprema indignação com a impunidade dos crimes de colarinho-branco neste país. Não aceitamos que nossa Justiça privilegie quem quer que seja e exigimos investigação rigorosa de todos os esquemas que o banqueiro Daniel Dantas e seus sócios montaram, das privatizações da era Fernando Henrique Cardoso ao Valerioduto do governo atual", diz o texto do abaixo-assinado.   De acordo com o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), durante duas horas de ontem (14) foram recolhidas cerca de 500 assinaturas no Centro do Rio. Na carta em que encaminha o abaixo-assinado, o PSOL afirma que se trata de uma "manifestação autêntica daquele que na República tem toda a competência para opinar sobre vários aspectos da vida nacional: o cidadão comum, o 'qualquer do povo', fonte de razão do poder democrático."   Chico Alencar questionou a iniciativa de Gilmar Mendes de propor mudança na legislação para combater eventuais abusos de autoridade em uma reação às operações da Polícia Federal - a mais recente das quais levou à prisão o banqueiro Daniel Dantas, o investidor Naji Nahas e o ex-prefeito paulistano Celso Pitta e outros 14 acusados de integrarem suposto esquema de desvio de recursos públicos, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.   "É preciso combater o abuso do protecionismo a investigados poderosos. E o abuso de proteção às autoridades, entendidas aqui como os mais ricos", afirmou Alencar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.