PSOL recorre ao STF para cobrar explicações de Duque

O PSOL entrou com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para que este cobre explicações do presidente do Conselho de Ética do Senado, senador Paulo Duque (PMDB-RJ), sobre a recente declaração dele de que o PSOL é "um partido pequeno que ainda não existe". Segundo o senador José Nery (PSOL-PA), a declaração de Duque foi "desrespeitosa". O ministro do Supremo que será designado relator da ação decidirá se ela é ou não procedente. Caso este ministro-relator aceite a ação, Paulo Duque deverá se explicar por escrito e poderá ser alvo de outras medidas, como uma representação no Conselho de Ética, uma ação de reparação civil e uma queixa-crime por difamação.

CAROL PIRES, Agencia Estado

29 de julho de 2009 | 19h09

José Nery informou à Agência Estado que estuda recorrer ao Conselho de Ética, na volta do recesso parlamentar, contra a permanência de Paulo Duque na presidência do colegiado. "Duque perdeu as condições políticas de conduzir o processo ao se manifestar antecipadamente quanto ao mérito da denúncia e ao dizer que o PSOL não existe", afirmou.

"Tanto existimos que apresentamos uma representação contra aqueles que há tanto tempo atropelam a moralidade pública", afirmou, em referência às representações que o partido registrou no Conselho de Ética contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), acusando o peemedebista de nepotismo na edição de atos secretos na Casa e de tráfico de influência na Casa.

Tudo o que sabemos sobre:
STFPSOLPaulo Duque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.