PSOL errou ao pedir investigação sobre caixa 2, diz Azeredo

Nesta 3ª, Senado arquivou representação do partido contra o parlamentar tucano, acusado no mensalão mineiro

Agência Brasil

23 de outubro de 2007 | 15h53

O senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) disse nesta terça-feira, 23, que o PSOL "agiu equivocadamente" ao protocolar representação pedindo que fosse investigada denúncia de que ele teria recebido dinheiro de caixa 2 para sua campanha à reeleição ao governo de Minas Gerais em 1998.  Veja também:       ESPECIAL: saiba o que é o mensalão mineiro  Senado arquiva representação contra Eduardo Azeredo  Azeredo alegou, em nota distribuída à imprensa, que no ano passado o Conselho de Ética do Senado já havia arquivado representação contra ele sobre o mesmo assunto, com a alegação de que o fato é anterior ao mandato de senador. "O partido contrariou a legislação processual brasileira ao se arriscar em uma representação para pleitear o que já foi julgado, o que já foi decidido", afirmou o parlamentar. Nesta terça, com a mesma argumentação usada em 2006, a Mesa Diretora do Senado arquivou a representação do PSOL. "A Mesa Diretora do Senado Federal seguiu jurisprudência da Casa", disse Azeredo na nota. "Como é do conhecimento de todos em Minas Gerais, as questões financeiras da campanha de 1998 não foram de minha responsabilidade, e delas só tomei conhecimento posteriormente." Os senadores que integram a mesa diretora entenderam que o episódio ocorreu fora do mandato parlamentar, já foi examinado pelo Conselho de Ética do Senado e se encontra sob análise no Ministério Público Federal. "Achamos que o processo está devidamente encaminhado", afirmou o senador Cesar Borges (PR-BA).

Tudo o que sabemos sobre:
Mensalão mineiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.