PSOL entra com representação contra Nascimento

O PSOL pediu ao Conselho de Ética que abra um processo disciplinar contra o ex-ministro dos Transportes, senador Alfredo Nascimento (PR-AM), por suspeita de quebra de decoro. O partido acusa o ex-ministro e seus assessores de suposto envolvimento em "práticas criminosas", como improbidade administrativa, formação de quadrilha e fraude a licitação.

ROSA COSTA, Agência Estado

07 de julho de 2011 | 18h40

A senadora Marinor Brito (PSOL-PA) afirmou que a intenção da iniciativa é "defender o interesse público". Para ela, "se Nascimento não serve para ser ministro, tampouco serve para ser senador". Eleito em 2006, Nascimento reassumiu automaticamente o mandato, no momento em que foi exonerado da pasta. "Ele não serve para ser o fiscalizador dos atos do Executivo, portanto, nós não aceitamos que uma pessoa com esse curriculum, com todas essas acusações, com as denúncias existentes contra ele, que venha assumir uma vaga no Senado", disse Marinor.

No entender do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), as denúncias existentes contra Nascimento "são gravíssimas". "A sociedade brasileira necessidade de respostas convincentes por parte do ministro", defendeu. "Ele não deixou de ser senador mesmo na conduta de atos como ministro de Estado. Portanto, esperamos que o Conselho de Ética cumpra a missão de fiscalizar o decoro parlamentar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.