PSOL abre representação contra Azeredo e a sexta contra Renan

O PSOL ingressou nesta quinta-feiracom uma representação por quebra de decoro parlamentar contraos senadores Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e Renan Calheiros(PMDB-AL). O partido pede a cassação do mandato de Azeredo por seuenvolvimento no chamado mensalão mineiro, suposto uso de caixa2 em sua campanha à reeleição para o governo de Minas Gerais,em 1988. O esquema de arrecadação ilegal de recursos, nos mesmosmoldes posteriormente repetidos pelo PT, foi intermediado pelaSMP&B, a agência do publicitário Marcos Valério. A representação contra Azeredo pode não prosperar pelo fatodas denúncias se referirem a um período em que ele ainda nãoera senador. "Não temos a menor dúvida de que o destino da representaçãocontra o senador Azeredo será o mesmo da representação de GimArgelo... se isso acontecer vamos de novo ao Supremo", disse apresidente do PSOL, Heloísa Helena, referindo-se àrepresentação do partido contra o senador do PTB do DistritoFederal, por envolvimento em esquema de desvio de dinheiropúblico, rejeitada pelo Senado. A nova representação contra Renan Calheiros é a sexta queatinge o presidente licenciado do Senado. O partido se baseouem matéria do jornal O Estado de S. Paulo de que Renan teriadestinado emenda parlamentar para empresa fantasma. "Infelizmente, somos obrigados a entrar com mais umarepresentação contra o senador que insiste em não ter trato como dinheiro publico.... é o nosso papel, caso contrárioestaríamos prevaricando", disse Heloísa Helena. O presidente do Conselho de Ética, senador LeomarQuintanilha (PMDB-TO), ainda não nomeou o relator para a quintarepresentação contra Renan, que trata da acusação de estar portrás de um esquema para espionar os senadores Demóstenes Torres(DEM-GO) e Marconi Perillo (PSDB-GO). Quintanilha queixou-se do que classificou de excesso derepresentações. "Temos nomes em vista mas nenhuma confirmação. Nossotrabalho começa a se complicar porque somos apenas 15parlamentares no Conselho. Estão banalizando asrepresentações."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.