DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

PSL deixa base do governo de Eduardo Leite no Rio Grande do Sul

Presidente do partido diz que sigla não concorda com propostas recentes encaminhadas pelo tucano; decisão expõe racha na sigla no âmbito estadual

Lucas Rivas, especial para o Estado

29 de novembro de 2019 | 20h02

PORTO ALEGRE – O presidente do PSL no Rio Grande do Sul, deputado federal Nereu Crispim, assinou um ofício nesta sexta-feira, 29, comunicando a saída do partido da base do governo gaúcho. Como justificativa para o desembarque, Crispim alegou contrariedade ao pacote de projetos apresentado pelo governador Eduardo Leite (PSDB) na Assembleia Legislativa e que impacta diretamente no plano de carreira e no estatuto dos servidores da educação, saúde e segurança. 

Em nota, Crispim afirmou que “em coerência aos compromissos assumidos na campanha eleitora – Projeto Muda Brasil Muda de Verdade –, especialmente nas áreas de educação, saúde e segurança pública, decidiu retirar-se formalmente da base de apoio ao Governo, por não concordar com as recentes propostas de alteração legislativa encaminhadas pelo Poder Executivo Estadual, e que essa decisão já foi oficializada ao Governo Federal”.

Contudo, a medida tomada, aparentemente de forma isolada, por Nereu Crispim não teve apoio dos correligionários gaúchos. Assim como em âmbito federal, o PSL também está rachado no Rio Grande do Sul, fazendo com que a decisão fosse questionada internamente.  

No Rio Grande do Sul, o PSL vêm dando suporte as votações do governo Leite no Parlamento com três deputados: Capitão Macedo, Luciano Zucco e Vilmar Lourenço. Além disso, Ruy Irigaray, que também foi eleito deputado estadual, foi alçado para comandar a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, integrando o primeiro escalão. Na Assembleia, a base governista conta com apoio de 40 dos 55 deputados e reitera a importância do PSL no bloco para aprovação do pacote de reformas, previsto para ser votado nos próximos dias, antes do recesso parlamentar.

O deputado estadual Luciano Zucco, mais votado do Parlamento gaúcho, com 166,7 mil votos, mostrou-se surpreso com o comunicado, emitido sem consulta interna. O secretário estadual Irigaray também informou, por meio da assessoria de imprensa, que a decisão de Nereu Crispim foi tomada de forma unilateral.

Após a divulgação da notícia, o governo gaúcho emitiu nota em que reforça os laços com aliados do PSL, garantindo não ter sido informado do suposto desembarque do partido. “O governo confia plenamente no espírito público dos parlamentares Tenente Coronel Zucco, Capitão Macedo e Vilmar Lourenço, que têm participado com contribuições indispensáveis para que o Estado retome a sua capacidade de investimento.”

“Igualmente é reconhecido pelo governador, pelo governo e pelo Estado do RS, o trabalho competente e dedicado exercido a frente de uma das mais importantes secretarias de estado, que é a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo, comandada pelo deputado Ruy Irigaray”, destacou o secretário estadual da Casa Civil, Otomar Vivian. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.