PSDB vai se unir com o DEM na representação contra Renan

Partido quer impedir que a nova representação venha adiar a decisão final do conselho sobre o processo

Rosa Costa, do Estadão

07 de agosto de 2007 | 15h39

O PSDB decidiu se unir nesta terça-feira, 7, ao DEM  na representação contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para que seja investigada a suspeita de ser dono oculto de duas emissoras de rádio em Alagoas.   Veja também:    Especial sobre o caso Renan Calheiros   STF instaura inquérito para investigar Renan Calheiros  Renan acusa 'Veja' de fazer 'denúncia falsa' e venda 'nebulosa' 'Não existem provas contra Argello', diz parecer do Senado   O líder do PSDB, Arthur Virgílio informou que o partido pediu à assessoria jurídica parecer sobre os procedimentos que devem ser tomados daqui para a frente para impedir que a nova representação venha adiar a decisão final do Conselho de Ética sobre o processo que está em curso.   Nesse processo, Renan é suspeito de ter contas pessoais pagas pelo lobista da Mendes Júnior, Cláudio Gontijo. As atividades do conselho estão suspensas enquanto aguarda que peritos da Polícia Federal examinem a documentação de defesa, apresentada por Renan, para provar que obteve em quatro anos rendimento de R$ 1,9 milhão com a venda de gado. Existe a suspeita de que as notas fiscais apresentadas por Renan sejam frias.   Os senadores do DEM (ex-PFL) e o presidente do partido, deputado Rodrigo Maia (RJ), decidiram no início desta tarde entrar com representação contra Renan .O partido decidiu ainda obstruir as votações de projetos de interesse do governo enquanto o caso Renan não for julgado.

Tudo o que sabemos sobre:
RenanSenadoDEMPSDBrepresentação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.