PSDB vai recorrer contra direito de resposta ao PT

O líder do PSDB e porta-voz da campanha de José Serra à Presidência da República, deputado João Almeida (BA), afirmou à Agência Estado que o partido vai recorrer da decisão que concedeu direito de resposta ao PT pelas declarações do candidato a vice na chapa de Serra, Indio da Costa (DEM). O vice ligou o partido às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e ao narcotráfico. Como se trata de decisão individual do ministro Henrique Neves, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cabe recurso ao plenário.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

22 de julho de 2010 | 19h46

O líder tucano afirmou que a decisão é "no mínimo abusiva" ao determinar a veiculação da resposta do PT por dez dias no site "Mobiliza PSDB", ao qual Indio deu as declarações. Para Almeida, o período de exibição da resposta deveria ser, pelo menos, igual ao tempo de veiculação das declarações do vice, que foram retiradas do ar no dia seguinte.

Almeida comparou a decisão de Henrique Neves a uma espécie de "censura" à liberdade de expressão dos políticos nas campanhas eleitorais. "Agora vamos ter de perguntar, antes, ao TSE o que podemos ou não falar na campanha?", protestou.

Os dez dias deferidos pelo relator excederam o período mínimo reivindicado pelo PT no pedido inicial, que era de 144 horas ou seis dias. Mas o relator ponderou que as declarações de Indio repercutiram em outros sites na internet, como na Folha Online e no YouTube, tendo sido acessadas por milhares de internautas.

No vídeo exibido pelo portal tucano, Indio da Costa afirmou, entre outras declarações, que "todo mundo sabe que o PT é ligado às Farc, ligado ao narcotráfico, ligado ao que há de pior. Não tenho dúvida nenhuma disso".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.