PSDB vai à PGR questionar cartão virtual de Dilma

O PSDB encaminhou nesta sexta-feira, 27, à Procuradoria-Geral da República (PGR) uma representação contra o cartão virtual de fim de ano enviado pela presidente Dilma Rousseff a servidores federais. O líder do partido na Câmara dos Deputados, Carlos Sampaio (SP), pede no requerimento a investigação por abuso de poder político e econômico, além de improbidade administrativa. A acusação de uso da máquina pública se estende também à ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e à secretária de Gestão Pública do Ministério do Planejamento, Ana Lúcia Amorim de Brito.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

27 Dezembro 2013 | 19h41

"O uso da máquina pública ficou configurado mediante a utilização de recursos materiais e de servidores do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, notadamente pela Secretaria de Gestão Pública, para o envio de mensagens de promoção pessoal da Presidente da República a todos os servidores públicos federais no dia 23 de dezembro de 2013", aponta Sampaio na representação.

Para o líder, a ação configura abuso de poder eleitoral, o que poderia beneficiar a candidatura à reeleição da presidente Dilma. "O e-mail enviado aos servidores, a pretexto de ser uma mensagem de Natal e de festas de Ano Novo, foi autêntico ato de promoção pessoal da cidadã, e provável candidata à reeleição", completou.

Mais conteúdo sobre:
PSDB PGR DILMA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.