‘PSDB tem se preparado muito mal para as eleições’, diz Edson Aparecido

Secretário de Desenvolvimento Metropolitano de São Paulo será responsável por coordenar ações tucanas nas cidades em que o partido sofre derrotas eleitorais

Roberto Almeida, de O Estado de S. Paulo

29 de março de 2011 | 23h00

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), lança nesta quarta-feira, 30, sua maior ofensiva para reverter o quadro de derrotas eleitorais para o PT nas regiões metropolitanas do Estado. Em evento no Palácio dos Bandeirantes, ele criará a Câmara de Desenvolvimento Metropolitano, órgão que vai coordenar ações cirúrgicas nessas áreas.

 

Para o secretário de Desenvolvimento Metropolitano, Edson Aparecido, que tem a missão de planejar as ações, essa é a principal estratégia para a vitória em 2012. Ontem, ele conversou com o Estado.

 

O PSDB governa São Paulo há 16 anos. Essa iniciativa não poderia ter sido levada a cabo antes?

É um processo de evolução. Nós criamos as regiões Metropolitana de Campinas e da Baixada Santista. Alckmin enviou projeto criando a Região Metropolitana de São Paulo em 2005. Agora, efetivamente, a imposição dos desafios e a necessidade de planejamento integrado foi amadurecida.

 

Ao mesmo tempo é sintomático que PSDB tenha sofrido tantas derrotas nessas regiões.

Faltaram nossas marcas. Intervenções nas regiões metropolitanas nós fizemos, como metrô, saneamento, Rodoanel. Mas o partido é outra coisa.

 

O desafio do partido se mistura às ações da secretaria?

O mais importante é que a secretaria tenha papel institucional, suprapartidário. O governador insistiu nisso. Mas o PSDB precisa ter a capacidade, a sensibilidade de capitalizar as ações governo nas regiões metropolitanas - e isso tem faltado. É uma deficiência mais do partido do que do governo.

 

O PSDB terá candidatos competitivos nessas regiões em 2012?

O partido está preocupado com isso. Nós vamos investir nas regiões metropolitanas e em municípios que são administrados por outros partidos como a gente sempre fez. Agora, outra coisa é o partido se preparar para os embates que vai ter. E aí é evidente que dos maiores municípios do Estado, 99% estão nas regiões metropolitanas.

 

Como vê Lula e sua popularidade na eleição do ano que vem?

Essa é uma correção que o PSDB precisa fazer, porque tem se preparado muito mal para as eleições. Precisa se preparar não só com candidatos do PSDB, mas em alianças, porque ninguém ganha mais eleição sozinho. O PSDB andou em um período na contramão ao querer disputar eleições sozinho.

 

Prefeitos do PT já estão dispostos a entrar em uma queda de braço com o governo.

É evidente que cada um vai tentar capitalizar seu trabalho, mas isso não vai atrapalhar e nós teremos ações comuns, em parceria com prefeitos de qualquer partido. Não vamos deixar que uma eventual disputa política prejudique a sociedade.

 

A criação da Câmara de Desenvolvimento Metropolitano é um reforço da imagem do governador para 2014, para a disputa da reeleição dele?

De jeito nenhum. A Câmara é um instrumento do governo para servir à sociedade.

 

Vê o Kassab e o PSD ao lado do governo nessa iniciativa?

Vejo o prefeito Gilberto Kassab colaborando. Discutimos com ele o bilhete metropolitano. No primeiro mês de governo, Kassab e o governador anunciaram uma série de medidas importantes em São Paulo de combate às enchentes, creches e transportes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.