JF DIORIO/ESTADAO
JF DIORIO/ESTADAO

PSDB-SP recua sobre rompimento com Temer, mas apoia FHC em indiretas

Governador Geraldo Alckmin disse que 'não seria correto com o País' que partido deixasse o governo; há, porém, forte pressão na base do PSDB para romper com presidente

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2017 | 10h46

Após o governador Geraldo Alckmin (PSDB) declarar nesta segunda-feira, 22, que “não seria correto com o País” o PSDB deixar o governo federal, o diretório paulista do partido recuou e preferiu “não decidir” sobre rompimento com o presidente Michel Temer.

Há na base do PSDB uma forte pressão para que a cúpula deixe o governo e entregue os cargos do partido. Os diretórios do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro já romperam com Temer.  A crise foi o tema de uma reunião na noite de segunda-feira no diretório, que reuniu o principais quadros do partido. A expectativa era que os paulistas seguissem o mesmo caminho, mas o movimento foi barrado por Geraldo Alckmin. 

“Decidimos não decidir. Vamos esperar uma decisão do (diretório) nacional”, disse o deputado estadual Pedro Tobias, presidente do braço paulista do PSDB.

Em consonância com o Palácio dos Bandeirantes, Tobias também declarou voto no ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em caso de eleição indireta e relatou que esse é o sentimento majoritário com o partido no estado.

“Meu candidato em caso de eleições indiretas é o FHC. Há quase uma unanimidade no partido em São Paulo”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.