PSDB-SP discute eleições municipais em congresso na sexta

Eleições devem entrar na pauta, no entanto, nomes a disputarem prefeitura da cidade não devem ser definidos

Felipe Maia, da AE

30 de julho de 2007 | 16h07

O diretório paulista do PSDB começa a discutir nesta semana a estratégia para as eleições municipais de 2008. Os tucanos promovem entre sexta-feira e domingo o II Congresso Estadual do partido, no município de Praia Grande, litoral sul do Estado.   Além de se organizar para o pleito, os correligionários paulistas também vão propor alterações no programa partidário nacional do PSDB.   As eleições na capital paulista também vão entrar na pauta congresso, mas segundo o presidente do PSDB-SP, deputado federal Antonio Carlos de Mendes Thame, ainda não deve trazer definições sobre nomes a disputarem a prefeitura da cidade.   "O que está certo é que queremos manter a coligação com o DEM, mas a definição de um nome vai depender do poder de consenso do candidato", afirmou. O deputado admitiu a hipótese de apoiar o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM-SP), mas disse que "se o (Geraldo) Alckmin quiser competir a situação é outra".   O objetivo do PSDB é estruturar o partido em todos os 645 municípios de São Paulo. Atualmente o partido está presente em 630. Thame acredita que a legenda terá candidatos para prefeito competitivos em 250 cidades nas eleições do ano que vem, sendo que, nesta legislatura o partido tem o controle de 202 prefeituras.   No evento, o PSDB paulista vai formular propostas para o programa partido, que deve sofrer alterações em congresso nacional a ser realizado ainda esta ano, mas que ainda não tem data definida. De acordo com o deputado, os principais temas da pauta são geração de emprego, segurança, produção sustentável, reforma tributária e educação.   "Queremos mostrar como efetuar mudanças nessas áreas", diz Thame, que espera explicitar o modo "completamente diferente" de governar do partido, em relação ao governo Lula.   Segundo o presidente do PSDB-SP, a escolha de Praia Grande para sediar o evento é bastante pragmática. A cidade, que é controlada pelo partido, pode oferecer hospedagem barata às cerca de 600 pessoas que Thame espera encontrar no congresso.

Tudo o que sabemos sobre:
PSDBcongressoeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.