PSDB sonda coligados do DEM para 2º turno

Embora o cenário para a disputa no segundo turno ainda esteja indefinido na capital paulista, aliados do candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, já começaram o assédio a partidos que apóiam o adversário Gilberto Kassab (DEM) para fechar alianças para a nova fase da eleição. Foram procurados pelos tucanos PMDB, PV e PSC.Não é a primeira vez que Alckmin tenta obter o apoio das legendas. Com exceção do PSC, PMDB e PV foram assediados pelos tucanos já no primeiro turno desta eleição. Kassab, entretanto, acabou levando os dois partidos para seu leque de aliados. Os tucanos dizem que, por enquanto, o contato com as siglas foi informal. Com o PMDB e o PV, houve uma conversa entre o candidato a vice de Alckmin, deputado estadual Campos Machado (PTB), e os respectivos presidentes municipais dos partidos. No PSC, o contato foi feito pelo coordenador-geral da campanha alckmista, deputado Edson Aparecido.Do PMDB, os tucanos cobiçam a estrutura partidária de base. Acreditam que, para enfrentar o PT, bastante organizado na periferia, precisam juntar forças. O PV fortaleceria o discurso ambientalista. Do PSC, interessa o apoio dos evangélicos.A aliança mais polêmica deverá ser, entretanto, com o DEM, caso Alckmin chegue ao segundo turno. Alckmistas consideram possível um apoio do antigo aliado, mesmo depois dos ataques duros feitos a Kassab, e creditam uma futura aliança a um "pragmatismo político" do DEM. Os tucanos avaliam ainda que, com ou sem apoio formal, a maioria dos votos do prefeito migraria automaticamente para Alckmin. Na campanha de Kassab, a corrida por aliados por parte dos tucanos antes mesmo de uma definição do segundo turno foi encarada como bravata.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.