PSDB se mobiliza hoje para promover discurso de união

Serra e Aécio, pré-candidatos à Presidência, se encontram no Recife para mostrar unidade do partido

Julia Duailibi e Ana Paula Scinocca, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

16 de março de 2009 | 00h00

No momento em que o PSDB discute quem será o candidato na eleição de 2010, os governadores de São Paulo, José Serra, e de Minas Gerais, Aécio Neves, deverão se encontrar hoje para dar sinais de unidade partidária e engordar o discurso de que não haverá um racha durante o processo de escolha interno.Para o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), o encontro entre Serra e Aécio é um sinal da "unidade" dos tucanos. "Esse é um ato positivo para o partido. É efetivamente uma sinalização de unidade", declarou Guerra.O senador espera Serra e Aécio para uma série de eventos no Recife. Os dois deverão se encontrar com deputados federais e estaduais, prefeitos e vereadores da região. Além disso, no decorrer da agenda, haverá conversas com líderes de outros partidos, como o senador Jarbas Vasconcellos (PMDB), o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e o deputado Raul Jungmann (PPS). O encontro entre os dois, que contou com ajuda do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, é visto com expectativa."É um primeiro passo para que se entendam. Se resolverem mesmo ser candidatos, faremos prévias, é a maneira mais democrática", disse o senador Arthur Virgílio (AM).A agenda começa às 19 horas no lançamento do livro Daquilo que eu sei - Tancredo e a transição democrática, do ex-deputado e ex-ministro da Justiça Fernando Lyra. Depois, às 20 horas, haverá a inauguração do auditório Ruth Cardoso, na sede do PSDB no Recife. Foram convidadas para esse evento cerca de 250 pessoas, que ouvirão discursos de Serra, Aécio e da prefeita Judite Botafogo, do município de Lagoa do Carro. Numa eleição em que o adversário deve ser uma mulher - a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT) -, o partido quer prestigiar líderes femininas.O último compromisso será um jantar na casa do senador Guerra, para o qual foram convidados deputados federais e estaduais.Antes de Recife, Serra cumprirá uma agenda de governo à tarde no Paraná, com o governador Roberto Requião (PMDB). Os dois assinarão termo de cooperação entre os dois Estados.ALIADOSNo jantar, aliados dos tucanos pretendem reforçar a estratégia sobre a eleição de 2010. Jungmann, por exemplo, acha que os tucanos têm de afiar o discurso de oposição e resolver as questões internas até, no máximo, junho. O debate, diz ele, é "salutar, desde que haja limite". "Eu vejo com muita apreensão. Empurrar essa decisão (sobre candidatura) com a barriga e lançá-la para a frente pode nos trazer uma surpresa. Deveríamos entrar já numa fase pré-campanha mais efetiva", disse.Mas não há consenso no partido sobre esse ponto. Enquanto Aécio quer viajar já pelo País para falar de 2010, Serra tem sido contra antecipar a campanha eleitoral. FRASESSérgio GuerraPresidente do PSDB"Esse é um ato positivo para o partido. É efetivamente uma sinalização de unidade"Arthur VirgílioLíder do PSDB no Senado"É um primeiro passo para que se entendam. Se resolverem mesmo ser candidatos, faremos prévias, é a maneira mais democrática"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.