PSDB rebate crítica de Dirceu ao governador Alckmin

O presidente estadual do PSDB, deputado estadual Pedro Tobias, rebateu nesta quinta-feira (22) as críticas de José Dirceu à política de segurança pública do governador Geraldo Alckmin, dizendo que é uma "piada" que o "ex-ministro condenado pelo Supremo Tribunal Federal" fale sobre o tema. "Parece piada ver o ex-ministro de Lula, o condenado José Dirceu, falar sobre segurança pública. Logo ele, exonerado do cargo após as denúncias do mensalão, vem a público dizer que troca de comando em secretaria (ou ministério) é admissão de erro. Só se for quando acontece no PSDB! Pudera ter Lula admitido o erro e o mensalão quando o tirou do Planalto!", rebateu Tobias em nota publicada no site do PSDB estadual.

GUILHERME WALTENBERG, Agência Estado

22 de novembro de 2012 | 19h37

José Dirceu criticou a política de segurança pública adotada pelo governador Geraldo Alckmin em nota publicada em seu blog, dizendo que a gestão do governador tucano foi um "fracasso" nessa área. Ele ainda afirmou que Alckmin assumiu esse suposto fracasso ao realizar a troca do comando do secretariado. De acordo com Tobias, a política de segurança pública no Estado não é malsucedida. "São Paulo é o Estado com um dos menores índices de criminalidade do País, mesmo agora, período que enfrentamos uma fase difícil neste assunto", avaliou.

Tobias respondeu também à argumentação de Dirceu que, somente após firmar acordo na área de segurança com o governo federal, o governo estadual teria chance de controlar a onda de violência que a Grande São Paulo atravessa. "José Dirceu, como é comum no mundo de Alice em que vivem os petistas, chega a dizer que a salvação dos paulistas é o acordo com o governo federal. Sim, vejam bem, depois de 10 anos de pura inércia, eles salvarão o Estado com a melhor política de segurança pública do País, reconhecida pela ONU, das mãos dos criminosos", disse.

Mesmo exaltando a importância da parceria firmada há duas semanas entre o governo do Estado e a União, que propõe, entre outras iniciativas, mais interação entre as polícias estaduais e federal, Tobias questiona a eficiência da União no combate ao crime nos Estados. "Se fosse tão eficiente (o governo federal) teria ajudado o governo petista da Bahia, por exemplo, cujo Estado fechou 2011 com 33,9 crimes violentos por grupo de 100 mil habitantes. Ou o Rio de Janeiro, cujos índices ficam em 25,8. Em Alagoas, 76,3. Já São Paulo não chega a 11", avaliou.

Intitulado de "Sai, Zé! Sai!", o texto afirma que os petistas gostam do "jogo de palavras". "Em 10 anos, não fizeram nada para melhorar a segurança em todo o País, deixaram nossas fronteiras desguarnecidas, sucatearam os sistemas de vigilância, mas adoram aparecer de salvadores da Pátria com suas propagandas mirabolantes e seu vazio de propostas", afirmou.

Para Tobias, ao invés de tentar manter-se no jogo político após ser condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção ativa e formação de quadrilha no caso do mensalão, Dirceu deveria ressarcir os cofres públicos com o dinheiro que supostamente ele levou. "Ao invés de tentar manter-se politicamente vivo por meio de bravatas, José Dirceu deveria se preocupar em como garantir a devolução aos cofres públicos do dinheiro do cidadão que ele e sua quadrilha levaram durante o Governo Lula", escreveu. E emendou, citando o delator do esquema do mensalão, ex-deputado Roberto Jefferson: "Como disse Roberto Jefferson: Sai daí, Zé!".

Mais conteúdo sobre:
SegurançaSPDirceuconsolida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.